O que é que pode falhar com queijo?

Idk the song/video, i just think this pic is adorable
Não deixes esta noite acabar. Por favor, peço-te por favor que não deixes. Não consigo deixar de pensar que até as estrelas se alinharam quando me olhaste pela primeira vez. Esses teus olhos, esse teu sorriso, esse teu toque. O arrepio que me provocaste com o olá como há muito nada me provocava. Vi-te pela primeira vez e a estranheza de ter ficado curiosamente surpreendida deixou-me ainda mais tímida do que já sou. A Lua seguiu-te pela marina e eu fui atrás. Como poderia não ir?  Mesmo não falando muito, sorriste o que bastou e atraíste-me como um íman. Quem serias tu, aquele ser ali ao inicio da noite, sozinho junto ao rio? Será solitário e gosta de estar sozinho a ouvir os pensamentos? Ou será aventureiro e gosta de descobrir sozinho novas vozes, novos olhares, novos anoitecer? Intrigaste-me irrevogavelmente e não te consegui ignorar. Tive de te conhecer. É tão bom quando algo supera as tuas expectativas, parece que a adrenalina percorre o corpo inteiro a pedir mais, só mais um bocadinho. Foi exactamente o que me aconteceu. Quando mais me contavas sobre ti, mais eu queria saber. Quanto mais sorrias, mais eu te queria ver sorrir. Quanto mais me olhavas, mais eu te queria olhar. Quanto mais me davas de ti, mais eu te queria. Já te disse que foste como um íman? Percebe que não tive qualquer tipo de controlo, tu eras tudo o que eu precisava ali comigo, naquela noite de primavera. Convidaste-me para jantar. Como podia eu dizer que não? Eras a companhia que precisava há muito tempo, a noite de gargalhadas que neguei precisar durante meses. Até que disseste “o que é que pode falhar com queijo?”. Aí, aí eu soube. Só podias ter saído dos meus sonhos. E, de facto, não passou disso. De um sonho.