Dei por mim a, finalmente, não me querer mais acomodar


Pensei que tinha a minha vida toda planeada para o futuro próximo. Pensei que sabia tudo e estava tudo controlado. Até àquela terça-feira de inverno, a nossa estação do ano preferida, quando os nossos olhares se cruzaram e tu me sorriste. Para quem tinha tudo planeado, nesse momento caiu-me tudo. Tão depressa apareceste como me encantaste. Juro que te confundi com alguém de um dos muitos livros que me fazem sonhar. Foste o realizar dos mais belos protagonistas de romances clássicos e das mais encantadoras personagens de filmes. Em pouco tempo, mostraste-me o mundo e ensinaste-me aquilo que eu sempre quis ser. Contaste-me histórias de ti que me apaixonaram e fizeram com que eu quisesse desesperadamente fazer parte da tua vida. Foi aí, exactamente aí, que me apercebi o quanto tu eras tudo aquilo que eu sempre quis ser e nunca tive coragem de tentar. Dei por mim a sonhar largar tudo e mudar de cidade, de país, de continente... Dei por mim a, finalmente, não me querer mais acomodar. Pensava que sabia tudo... o quanto me fui enganar.