A intensidade que nos diverge é a mesma que nos une

És muito mais que um namorado. És um pai, quando ralhas comigo e dizes para ir correr, quando olhas para mim com um ar reprovador quando eu te digo que me apetece chocolate. És uma mãe, quando me abraças com força quando vês os meus olhos molhados ou quando não desistes de mim mesmo quando eu te imploro para o fazeres. És o irmão mais velho que eu sempre quis ter, o que goza comigo mas é o primeiro a estar lá para me proteger. Aquele que sabe sempre o que dizer na hora certa. És o meu melhor amigo, aquele para quem eu quero correr para os braços e contar as novidades, aquele que sabe coisas da minha vida que nenhuma outra pessoa sabe. És das muito poucas pessoas que eu acredito que nunca vai desistir de mim. És quem conhece todos os meus defeitos, e, mesmo assim, continua comigo. És tudo para mim. És absolutamente maravilhoso. És a melhor pessoa, o melhor irmão e o melhor filho que eu alguma vez conheci. Percebe que isto não é um caso de “ele é perfeito”. Não. É o caso de saber que não o és, ir conhecendo os teus defeitos e estar disposta a aceitá-los. Porque não os aceitar seria não te aceitar a ti. E eu aceito-te, com tudo o que tenho. Jamais questionaria o que temos. É tão real, tão certo que só a ideia de pôr isso em causa é absurda. A forma como nos aproximámos e, mais do que isso, a maneira como nosso destino se foi cruzando quando menos esperávamos... Era para ser. Era para acontecer. Era para existir um “nós”. Apesar de vacilarmos, de errarmos, de desiludirmos, de qualquer discussão acesa, no final, continuamos aqui. De corpo, coração e alma. A intensidade que nos diverge é a mesma que nos une. As nossas diferenças existem para nos completar. O que falta em ti há em mim. Quando um está prestes a desistir, o outro vai lá e recupera tudo novamente. Adoro quando nos chateamos por qualquer razão e eu te mando embora, e depois de ires, voltas porque sabes que já me arrependi e já te quero nos meus braços outra vez. E lá espreitas tu pela porta e sorris, e quando eu te peço desculpa tu aproximas-te, beijas-me a testa e abraças-me. Vamos ter momentos assim para sempre. Altos e baixos. É esse o preço de toda esta intensidade. É o preço de tanto amor. Um relacionamento é uma conquista diária. É amizade, confiança, carinho, parceria, respeito. Inclui dividir problemas e multiplicar alegrias. Inclui respeitar pontos de vista, estar ao lado um do outro em qualquer situação. É muito mais do que noites bem passadas. É muito mais do que beijos ou sexo. Isso vem por acréscimo. É preciso amizade. E isso, nós temos.