Não custa sonhar, não é?

Vivo todos os dias na esperança de um dia vires a olhar para mim como ele olha para ela. Um olhar doce e preocupado, como um de um pai protector, como o de um irmão defensor, como o de um amante apaixonado. Um olhar com uma intensidade que qualquer um percebe. Um olhar como há poucos. Um olhar que, para existir, precisa que haja amor, preocupação, carinho. Não custa sonhar, não é?  Daria tudo para ser o que os teus olhos mais procuram, como os dele a procuram. Para ser a voz que mais queres ouvir, como ele a dela. Para ser a única razão de estares triste ser eu estar triste. Ou o sorriso que te faz sorrir.
Mas eu não sou ela. E tu não és ele.
Por isso, tenho que viver a realidade, a minha realidade. Eu e tu, pouco mais que conhecidos.
Não sei como é possível, mas gosto de ti. Não sei como, não sei porquê, mas gosto.
Pode ser que um dia encontres todos os meus textos, todas as minhas frases, e saibas que são para ti. Todas para ti. E que venhas ter comigo e me digas.
Pode ser que mude alguma coisa, pode ser que não.
Não custa sonhar, não é?