Era porque não estava destinado a ser

Muitas vezes damos demasiada importância a problemas que não afectam a nossa vida em nenhum sentido. Muitas vezes ficamos assustados com o que vai acontecer com o nosso futuro, e esquecemo-nos de que nem o passado nem o futuro importam, apenas o presente. Apesar de todos os problemas, todas as confusões, nunca deixes o teu presente ser abalado. Aliás, a vida é uma só, e não existe passado nem futuro depois de morrermos, só existe o presente. Hoje engoli o choro mais uma vez. Engoli a vontade de gritar para todos. E engoli um pouco da dor também. Mas isso está-se a acumular e acumular dentro de mim, e eu não aguento muito mais. Já pensei em desistir. Já fiz até loucuras para ver se acabava com, pelo menos, um pouco desta dor, mas parece que com o tempo só vai aumentando. Por isso, estou a começar a desconfiar do que me dizem. Dizem que, com o tempo, tudo passa, tudo se cura. Mas não sei até que ponto isso é verdade. Porque, para mim, o tempo vai passando, e dói cada vez mais. Dói, sim. Até dói ouvir certas músicas que me fazem lembrar do que eu mais preciso de esquecer. Mas depois de tudo isto, depois de toda a esta dor, só de ouvir a tua voz, já me sinto bem. Como um remédio santo. Tudo em ti me conquista todos os dias. Tu fascinas-me. Já tenho inúmeras razões pelas quais cada vez mais tenho a certeza que isto tão cedo não vai passar. Quando olho para ti, só penso num "nós" que não existe. Nos olhares que não se cruzam. Nas palavras que não são ditas. Nas mãos que não se tocam. Nos beijos que não são dados. Só consigo pensar que não há outros lábios que eu deseje beijar mais que os teus. Penso em "nós". Pode vir a existir, quem sabe? E, se existir, que o nosso amor dure um montão de anos, tanto quanto a nossa vida durar. Que nós nos conheçamos pelos olhos, saibamos tudo um do outro, mas nunca deixemos de nos surpreender um ao outro todos os dias. Que sejamos eternos adolescentes apaixonados, por aí, escondidos dos pais. Que a nossa cama tenha nos lençóis sempre a marca dos nossos corpos e o calor da noite passada. Que enfrentemos este mundo juntos, e que saibamos que, no fim do dia, esperaremos sempre um pelo outro, com um sorriso de saudade nos lábios e um "eu amo-te" preso na garganta, que ficou um dia inteiro de trabalho à espera de ser dito. E que seja amor e paixão, sempre, juntos. Sempre nós. E se não for, não foi. Era porque não estava destinado a ser.