Tu não sabes

Tu não sabes, mas estou constantemente a pensar em ti. Nem me conheces, nem sabes que existo. Tu não sabes, mas cada vez que passas por mim, o meu coração bate a mil à hora. Tu não sabes, mas eu aprecio cada minuto em que estás na mesma divisão que eu. Tu não sabes, mas num sítio cheio de pessoas onde existe uma remota possibilidade de lá estares, os meus olhos procuram-te.  Tu não sabes, mas cada vez que abraças uma rapariga, eu imagino como seria se fosse eu. Tu não sabes, mas não há uma noite em que não sejas a última coisa que me passa pela cabeça. Tu não sabes, mas cada vez que cruzamos o olhar, estremeço. Tu não sabes, mas cada vez que te vejo sinto uma felicidade imensa por te poder ver mais uma vez. Tu não sabes, mas cada vez que sorris fazes-me sorrir. Tu não sabes, mas cada vez que vais para um canto com os fones e não queres que ninguém te veja, eu vejo-te. Tu não sabes, mas cada vez que te vejo a sorrir para alguém, o desejo que sinto que esse alguém fosse eu é estrondoso. Tu não sabes, mas cada vez que te vejo a ir embora o brilho nos meus olhos desaparece, como se tirassem um brinquedo a uma criança.  Tu não sabes, mas és a razão por eu querer que o fim-de-semana passe mais depressa. 
Tu não sabes e provavelmente nunca vais saber, mas eu sei.