Meses, anos

Dou por mim a querer que os minutos passem mais depressa, as horas sejam mais curtas e os dias mais velozes que a luz. Porque hoje não está certo. Ainda falta muito para o estar. Talvez daqui a seis meses o esteja. Até lá, só me resta esperar e desejar que os dias, as horas e os minutos não se façam sentir. Sofro por os sentir. Sofro porque eles não passam tão rapidamente como eu gostaria. Fecho os olhos, respiro fundo e imagino. Imagino onde vou estar daqui a seis meses. Ou daqui a um ano. Imagino se vou estar feliz. Vou, sem dúvida. Imagino onde vou estar. Ah, essa é a parte mais incerta. Imagino com quem vou estar e a fazer o quê. Porque apesar de ser feliz hoje, hoje não me chega. Quero mais. Quero a minha vida, não agora, as daqui a uns meses, ou anos. Sonho para que sejam bons tempos por lá. Sonho para que o Sol esteja a iluminar o meu sorriso. E vou fazer por isso, não se pode ficar sentado à espera que esses sonhos se realizem sozinhos. Dou por mim a querer mais, a querer tudo isto. Até lá, só me resta esperar e desejar que os dias, as horas e os minutos não se façam sentir.