Hoje escrevo para ti


Hoje escrevo para ti. Escrevo de forma diferente se pensarmos que sempre escrevi com felicidade e hoje escrevo com dor. Hoje escrevo para ti perdida na falta de razões, perdida na falta de explicações. Gostava de entrar na tua mente. Gostava de ser tu para por momentos  conseguir entender o que sentes e quem és. Por vezes, sinto que não te conheço, sinto que não te posso conhecer. Olho à volta e procuro-te, mas, por vezes, não te encontro. E, mesmo quando te encontro, por vezes, não consigo chegar até ti, não te consigo sentir. Talvez seja de mim, mas é o que acontece. Fecho os olhos, mas ao contrário de outros momentos, também aqui, por vezes, não te consigo ver. Também aqui não te consigo sentir, também aqui não te consigo cheirar. Os meus pensamentos voam sem nexo. Perdi a direcção e o coração recusa-se a dar-me outro mapa. Estou perdida em ilusões e dor. Quero encontrar um rumo mas não sei para onde caminhar. Dói-me o corpo e a alma. Quero fechar os olhos e avançar no tempo. Quero viajar para um futuro onde já não estamos aqui. Um futuro incerto, mas que o desejo passar contigo. Quero viajar para um futuro onde a nossa história se confunda com tantas outras histórias de amor que já que li.
 Hoje escrevi para ti.