Um pedacinho de nós


Há momentos em que só apetece chorar. E depois há os momentos em que só apetece sorrir com um canto da boca em Vénus e outro em Marte. É de todos esses momentos que sou feita, todos eles definem quem sou. Todos eles guardo para recordar: os últimos para recordar toda a alegria que vivi, toda a paixão que senti e o amor que retribuí; e os primeiros para nunca me esquecer que também sou feita de todas as minhas desilusões, mágoas e decepções. Recordo-os a todos com uma extrema felicidade de saber que vivi dignamente todos os bons e superei todos os menos bons.
Mas, quando o meu olhar atravessa todo o mundo para se cruzar com o teu, só um tipo de memórias me vem à cabeça: as boas. Os momentos que já passei contigo, que, por sinal, são todos maravilhosos, são especiais precisamente porque foram passados contigo, o que os torna os melhores de sempre. É isto que me entra na alma cada vez que te vejo, cada vez que te sinto, cada vez que te beijo. Porque sei que nenhuma destas memórias, aconteça o que acontecer, serão preenchidas por arrependimento e infelicidade em vez de amor e paixão.